11.23.2010

O que querem as mulheres de 20

No começo do semestre saindo da faculdade eu fui parada por uma equipe da Natura para responder à algumas perguntas sobre o que eu quero da vida, se eu penso em criar uma família e coisas do tipo.
Hoje navegando pela internet achei a "reportagem" que saiu em um dos blogs do site da Natura e resolvi compartilhar aqui com quem lê o meu blog...

At the beginning of the semester going home from university I was stopped by a Natura team to answer some questions about what I want for my life, if I want to marry and have kids and things like that.
Today surfing the web I found the "report" where I appear on a video answering one of the questions, it was in one of Naturas blogs...and I decided to share this with who reads my blog...

"O que querem as mulheres de 20

Uma pesquisa revelou que as mulheres na faixa dos 20 anos ainda são "conservadoras" na vida emocional. Você concorda?
por   Cris Capuano 
30/09/2010 |  07:56
A revista Época fez uma pesquisa sobre o comportamento das mulheres de 20 anos. Depois de entrevistar 3 100 mulheres nesta faixa etária, concluiram que elas são emocionalmente "conservadoras" e que estão "adiando a entrada na vida adulta".

"Aos 20 e poucos anos, elas têm mais escolaridade, mais renda, mais planos, mais oportunidades, mais independência e muito mais liberdade do que suas mães e avós tiveram na mesma idade. No entanto, mantêm os mesmos valores em relação à família e à vida conjugal, embora as datas tenham se alterado", diz a matéria.

A repórter Clarissa Beretz conversou com mulheres desta faixa etária e com Ana Bock, professora de psicologia social da PUC de São Paulo, para entender o que significa essa transição.


A conclusão que chegamos é que sim, as mulheres de 20, como as de 30, vivem em um mundo de transições. Mas talvez a primeira coisa que desejem é... que os outros não definam o que elas querem, o que são ou o que deixam de ser. A antropóloga Ligia Krás conseguiu traduzir esse desejo. "No longo histórico de rótulos-clichês que têm acompanhado a mulher ao longo de gerações ficou estabelecido que ela seria uma coisa ou outra: ou era romântica e sonhadora, ou independente e determinada, ou conservadora e família, ou atirada e voluntariosa", escreveu em um artigo na nova revista feminina Lola. Para a antropóloga, ela não quer mais ser vista como mulherão. Nem como mulherzinha. "Ela não quer mais ser rotulada, estereotipada, colocada em um balcão com produtos massificados.(...) Ser mãe ainda é um grande desejo, mas de forma tranquila, sem prazo imposto, sem a obrigação de constituir a família ideal e perfeita.(...) Mesmo com tantas conquistas, ainda buscam muitas coisas. A primeira é serem vistas como mulheres e não como homens de maquiagem". E você, o que pensa disso?"


No comments: